Cerca de 1.200 garrafas da adega de Edemar Cid Ferreira serão leiloadas

14ago2015

Cerca de 1.200 garrafas da adega de Edemar Cid Ferreira serão leiloadas

Cerca de 1.200 garrafas de vinhos da adega pessoal do ex-dono da banco Santos, Edemar Cid Ferreira, irão à leilão online no dia 22 de outubro, com segunda tentativa no dia 13 de novembro, segundo o site de leilões SuperBid. O leilão está relacionado à falência do banco e foi determinado pelo juiz Caio Marcelo Mendes de Oliveira, no dia 24 de julho. Ele considerou haver “urgência” na venda das bebidas. Segundo o ex-banqueiro, o “administrador (da massa falida do banco Santos) quer leiloar vinhos que próprio deixou estragar”. “Ele desligou o ar condicionado e a adega virou estufa”, disse Edemar Cid Ferreira ao G1.

Não haverá visitação para a conferência dos vinhos e os lances ocorrem a partir do dia 22 de outubro, via internet. Os lotes, que podem ser vistos no site, vão de cerca de R$ 500 a R$ 11.000. Em cada lote, há um botão de informações complementares, com fotos da adega onde os vinhos foram armazenados. São 143 lotes de vinhos tintos, brancos rosés, vinho do porto, champagne. A organização dos lotes foi feita por país, tipo de vinho, tipo de uva e preço. Há vinhos como Chateau D’Yquem, Petrus, Chateau Lafite, Riechbourg, Echezaux, Vozne Romanée, Champagne Cristal.

Para participar do leilão é preciso se cadastrar no site. A primiera tentativa de venda começa no dia 22 de outubro e acaba às 14h do dia 24 de outurbo. Os vinhos que não forem vendidos irão para uma segunda tentativa, entre 25 de outubro e 15 de novembro.

‘Vinhos estragados
Segundo a empresa que organiza o leilão, “as garrafas estão devidamente armazenadas em adega climatizada, em perfeitas condições de temperatura” e foram avaliados por perito especializado, levando-se em consideração não só a qualidade e o preço de mercado de cada garrafa, como também a condição de rótulo, coloração e nível de gargalo.

O ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira disse, por meio de nota, que os vinhos estão deteriorados, afirmando que o relatório do perito contratado pelo administrador da massa falida do banco Santos, Vânio Aguir, teria constatado isso. “Apresentam redução do nível líquido, enquanto outras já se encontram vazando e mais outras apresentando início de deterioração”, segundo trecho do relatório do perito Oliver Smith, citado na nota de Edemar.
Edemar afirma que entrou com recurso no Tribunal de Justiça de São Paulo contestando a forma como estão sendo conservados os vinhos pelo adminstrador da massa falida do banco Santos. “Não estive lá, mas sou tomador de vinho. Vânio desligou o ar condicionado porque não entende de vinho, não era a pessoa certa para tomar conta de uma casa com obras de arte e vinhos”, disse o banqueiro.

  • 14 ago, 2015
  • Ricardo Ronconi
  • 0 Comments

Share This Story

Categories

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *